Seguindo a tendência de empresas que estão buscando maneiras de produzir menos lixo e contribuir com a preservação do meio ambiente, a Ford está reciclando resíduos de café do McDonald’s e transformando-os em peças de automóveis.

A montadora converte os resíduos em bioplástico, que então é utilizado na fabricação de peças para os carros da empresa. Além de reduzir o desperdício de alimentos, o esforço tornará as peças do carro mais leves, usará menos petróleo e reduzirá as emissões de CO².

O composto produzido atende às especificações de qualidade para peças como carcaças de faróis e outros componentes internos e externos do capô. As propriedades de calor do componente também são significativamente melhores do que o material usado atualmente, de acordo com Ford, que ainda destaca que o material resultante é cerca de 20% mais leve e exige até 25% menos energia durante o processo de moldagem.

A indústria automobilística como um todo está sob enorme pressão para reduzir as emissões de CO², além de aumentar a produção de veículos elétricos, muito porque mais de 1/4 de todas as emissões de carbono são do setor de transportes.

A Ford é uma das quatro montadoras globais que contrariou o governo de Donald Trump ao chegar a um acordo com a Califórnia para aumentar a economia de combustível em suas novas frotas de veículos até 2026.

A Ford também estabeleceu uma meta para si mesma de usar apenas plásticos reciclados e renováveis ​​em toda a sua frota global de veículos.

 

Fonte: B9